Oficinas de Pais, o projeto pioneiro da Pais-em-Rede

O projeto pioneiro das Oficinas de Pais, foi aprovado no concurso promovido pelo Alto Comissariado para a Saúde em Maio de 2010 e teve co-financiamento da Fundação Calouste Gulbenkian. Contou também com a parceria do ISPA – Instituto Universitário.

Este projeto foi pensado para apoiar famílias de crianças com necessidades especiais e para as ajudar na exigente tarefa de educar estas crianças, participando ao máximo na sua vida e promovendo a sua plena inclusão social.

A participação dos pais inicia-se sempre pelo Nível 1 – Grupos de Apoio Emocional (GAE) em que se pretende que diferentes mães e pais se encontrem com os seus pares para troca de experiências, aprendendo a gerir as suas emoções e a compreender os efeitos do/a filho/a com deficiência na sua família, conseguindo assim identificar problemas e necessidades para que, posteriormente, possam encontrar as respostas mais adequadas.

Reveja a entrevista a Júlia Serpa Pimentel no programa Consigo, da RTP em 2014, onde a presidente da Pais-em-Rede explica em detalhe o propósito do projeto. 

 

 

Caso tenha interesse em participar, o núcleo da Pais-em-Rede em Mangualde, disponibilizará um Grupo de Apoio Emocional (Nível I das Oficinas de Pais), a realizar-se pela 1ª vez on-line, de 27 de março a 3 de julho.

Embora a questão da residência dos pais não seja determinante, este grupo dirige-se, fundamentalmente, a pais dos concelhos de Mangualde, Nelas, Viseu, Penalva do Castelo, Satão, Fornos de Algodres, Celorico da Beira, Guarda e concelhos limítrofes, para que, quando terminar a pandemia, estes pais possam partilhar ao vivo as suas experiências.

Para mais informações e inscrições clique aqui.